terça-feira, 31 de março de 2015

Mostra Especial IlíadaHomero

A Cia IlíadaHomero convida a todos a prestigiar a Mostra Especial IlíadaHomero que tem início nesta terça-feira. Serão 30 espetáculos em 6 dias, em diversos horários, os monólogos duram em média de 30 à 50 minutos e sempre é antecedido de uma breve introdução ao Canto. Os ingressos custam R$20,00 e R$ 10,00 (meia entrada).

Será sorteado 1 ingresso para cada um dos espetáculos, ou seja, são 30 ingressos. Mande um e-mail para andressamedeiros@gmail.com e curta a página da Cia (https://www.facebook.com/pages/Iliadahomero/609762085780034) , os ganhadores deverão retirar os seus ingressos na bilheteria do teatro Londrina (memorial de Curitiba no Largo da Ordem), com no mínimo 30 minutos de antecedência.

A entrada para esses espetáculos valerá como horas formativas.


sábado, 28 de março de 2015

Promoção de Aniversário da Editora UFPR

Dia 24, terça-feira, a Editora UFPR comemoraou 28 anos com uma megapromoção: o sorteio de um vale-compras no valor de R$ 250,00 para gastar no estande da Editora UFPR, durante o 6º FEIRÃO DE LIVROS EDITORA UFPR, que acontece de 14 a 16 de abril, no Centro Politécnico.



Para participar da promoção é fácil: basta visitar a livraria da Editora UFPR (Térreo do Ed. D. Pedro II – Reitoria UFPR), entre os dias 24 e 31/03, preencher o cupom e depositá-lo na urna da promoção!

O sorteio será realizado às 18h do dia 31/03, na livraria.

Participe – e garanta mais livros na sua estante!

(Promoção limitada a apenas um cupom por pessoa)

sexta-feira, 20 de março de 2015

DCE, NOS AJUDA A TE AJUDAR!




Ontem, 19 de março, no pátio da reitoria, aconteceu a Assembleia Geral dxs Estudantes da UFPR. É importante lembrar que essa assembleia foi uma conquista dos/das estudantes, pois em nenhum momento a atual gestão do DCE ("Quem tá passando é o bonde!") abriu diálogo com os coletivos que ocupam o prédio (Antifa 16, El Quinto e Rádio Gralha) ou com os estudantes. Não queriam, nem mesmo, chamar um Conselho de Entidades de Base (CEB) para discutir as questões do prédio de estudantes com os centros acadêmicos da universidade. O CEB do último dia 03 só aconteceu por conta de um tensionamento da base em uma reunião realizada com com os coletivos. Esse CEB foi histórico, pois contou com 32 Centros Acadêmicos que votaram unanimemente contra as propostas da gestão do DCE, que estavam sendo impostas. Também por unanimidade, foi decidido que o assunto seria debatido amplamente com o movimento estudantil em uma assembleia geral.


Em meio a esse processo, o Conselho Universitário (COUN) formou uma Comissão Paritária para abrir diálogo entre a Reitoria, os estudantes e os coletivos. É interessante ressaltar que a gestão atuou diante dessa comissão sem consultar a base dos estudantes. E, mais uma vez, autoritariamente e sem debate, tentaram passar uma "revitalização" do espaço que, segundo eles, seria a única saída para manter o prédio aberto. O interessante é que essa tão chamada revitalização não passaria de uma "limpeza e pintura" [sic], segundo a Pró-reitora de Assuntos Estudantis (PRAE), Rita.

Frente a toda essa falta de diálogo, a base de estudantes – não apenas através dos Centros Acadêmicos, como o CAL, mas também independentemente e de forma conjunta com os coletivos – organizou uma festa como forma de resistência. Ou seja, não é apenas agora que o nosso prédio está sendo boicotado. O que mais nos estranha é que essa gestão, que deveria efetivamente representar os anseios da comunidade discente, fecha acordos e minutas de reforma com a Reitoria sem o aval da coletividade dos estudantes que compõem a universidade.

Voltando para os fatos ocorridos ontem em assembleia, desde o começo a gestão agiu de modo a silenciar as falas dos/as estudantes que estavam na plenária: seja interrompendo inscrições de fala ou fechando-as no meio do debate. Além disso, o projeto de reforma estrutural de todo o complexo da reitoria e da CEUC foi apresentado no início da assembleia como se ele fosse a única solução possível para se resolver os problemas que temos, o que consideramos não ser verdade. É importante também ressaltar que foi preciso ontem, enquanto estudantes, solicitar que fosse dado tempo de fala para os coletivos, algo que julgamos ser extremamente necessário, mas que não havia sido garantido desde o início. Conseguimos, a contragosto do DCE, cinco minutos de fala para cada um dos coletivos. Assim fica difícil dialogar, não é mesmo? Uma gestão que, em campanha, afirmou primar pela diversidade parece ter problemas com a pluralidade de ideias em uma plenária. Bonde, assim não tem como te defender.

O engraçado – trágico, na verdade – foi a postura da mesa na assembleia. Pensamos que era um bonde, mas na verdade mais parecia um trator! Cada fala que ia contra o posicionamento trazido pela gestão era tratorado. E quando não mais conseguiram sustentar suas manipulações, tentaram implodir o espaço se retirando da assembleia. Comportamento meio complicado para quem diz representar os/as estudantes. Contudo, os estudantes resistiram, e nem mesmo essa tentativa foi bem sucedida. Ao perceber o golpe da gestão, em coro, a plenária começou a entoar um grito de indignação: "Não! Não! Não nos representa!". Pois é, pessoal, o bonde passou!

Todavia, não foi esse o desfecho da noite de ontem. Os/as estudantes que ainda estavam presentes (113) seguiram em sessão, votando a favor da reinstalação da sessão e pela mudança de mesa. Foi dessa forma que decidimos coletivamente retirar uma comissão de negociação composta por: 1 membro de cada coletivo que ocupa o prédio; 2 membros do campus reitoria que estejam acompanhando as discussões desde o início; 1 membro da medicina – para trazer acúmulos no que se refere às negociações do DANC, outro prédio estudantil que foi tomado pela reitoria durante as férias (para uma "reforma") e até hoje segue abandonado; 1 membra da CEUC; e mais 6 presentes da plenária. Essa comissão, conforme aprovado em assembleia, trabalhará com os seguintes eixos principais: Prioridade para a CEUC, RUs, DANC e demais demandas estudantis nas reformas; caso aconteça a reforma no prédio de estudantes, que haja garantia de um local alternativo para a gestão do DCE e para a realização de festas – principal meio de autofinanciamento do movimento estudantil; contrariedade à proposta de desalojamento dos coletivos que atualmente ocupam o prédio; e retomada do calendário de festas no segundo andar até que a base estudantil aceite alguma proposta em relação ao prédio.

Outro ponto importante foi a deliberação da plenária de solicitar que a gestão do DCE entregue para a mesa que seguiu a assembleia a relatoria que estava sendo feita antes do abandono da sessão, bem como das listas de presença. Entendemos que o abandono da assembleia por parte da gestão do DCE não se configura como a primeira vez que essa voltou as costas para os estudantes. Enquanto se formava a frente de resistência do prédio e era necessário um posicionamento daqueles que dizem nos representar, a gestão deixou sua sede no prédio, demonstrando, mais uma vez, de que lado se posicionaram dentro do movimento estudantil.

É importante ressaltar que mesmo com uma assembleia esvaziada – graças ao péssimo trabalho de divulgação que o Bonde fez – tivemos forte representação de estudantes de Letras. Não só o CAL se mostrou presente como também diversos estudantes do curso não organizados institucionalmente estavam lá! No que se refere ao acompanhamento dessa questão por nossa parte, o CAL tem se posicionado de forma concisa desde 2013. Durante esse tempo houve um boicote de uma gestão do DCE à nossa festa de recepção dos calouros. De forma não surpreendente, naquela época eram os mesmos grupos que compõem a atual gestão do DCE que estavam à frente da instituição. Será coincidência? Na ocasião, a gestão do CAL ("Vem ni mim, Bahktin") lidou muito bem com a questão, defendendo o prédio – que é dos estudantes – firmemente. 

Portanto, acreditamos que não é de hoje que o CAL tem um compromisso real com as questões do movimento estudantil geral da UFPR. Nossa participação ativa é algo que vem sendo construindo coletivamente há bastante tempo e consideramos ser essa uma luta de todos/as estudantes. Por isso defendemos nosso prédio!

Dessa forma, frente a todos os fatos ocorridos até a assembleia de ontem, diante da falta de diálogo da gestão, sua ausência ao tratar de assuntos importantes para a base de estudantes, bem como os seus posicionamentos em concordância com a reitoria, repudiamos as atitudes tomadas pela gestão "Quem tá passando é o bonde!". Entendemos que o processo de eleição foi legítimo, mas cremos que essa gestão não representa os anseios dos/as estudantes. Como seremos representados por quem não nos ouve? Como vamos agir quando somos boicotados a todo momento? Como nos articularmos frente aos ataques da reitoria e do governo federal, que estão se colocando contra estudantes e trabalhadores, sendo que nossos representantes manipulam nossas propostas?

É simples: O Bonde passa, a resistência permanece!

CENTRO ACADÊMICO DE LETRAS GESTÃO 2014/2015: "O SCHWA É NEUTRO, MAS NÓS NÃO!"

video

domingo, 15 de março de 2015

Convocatória da Assembleia Geral Ordinária dos Estudantes de Letras

Olá, colegas
Após semanas de intensas atividades relacionadas a recepção dos calouros, a discussão sobre o prédio do DCE e o envolvimento das mulheres na construção da Semana da Mulher – Letras UFPR, nós da atual gestão do Centro Acadêmico de Letras convocamos todos os estudantes para participar da Assembleia Geral no dia 18 de março. Ela será dividida em duas sessões:

✓ Manhã: 8h30 na Sala 408 DP II
✓ Noite: 20h30 no Anfi 1000


As pautas a serem discutidas serão as seguintes:
  1. Informes: quaisquer eventos, editais abertos, informações relevantes para todos os alunos de Letras da UFPR;
  2. Prédio dos Estudantes: uma preparação para a Assembleia Geral dos Estudantes da UFPR, a importância do prédio e o papel dos coletivos na realização de eventos que fazem aquele espaço cumprir uma função social;
  3. Conselho de Representantes de Habilitações e Ênfases: Após reunião do CRHE foi decidido construir em assembleia uma eleição para renovar a gestão do CRHE. Tiragem da Comissão Eleitoral do Processo;
  4. Encontros Universitários: O que são, para que servem e a importância deles no Movimento Estudantil. Focando naqueles puxados pela Executiva Nacional dos Estudantes de Letras (ExNEL);
  5. Documentação do CAL: A necessidade do esclarecimento sobre o que foi decidido em assembleia quanto à independência do jornal Jornal Boca do Inferno e o local físico onde podem ser localizadas as atas dessas reuniões, assim como o próprio estatuto. Nós da atual gestão precisamos dessa conversa para que possamos decidir as políticas orçamentárias sem violar o que já foi deliberado;
  6. Semana de Letras: Decidir a temática das principal da semana. Construir a comissão para a construção do evento;

Lembrando sempre que esse é o espaço máximo de deliberação dos estudantes de Letras da UFPR, portanto é importante a presença de todos/as os/as estudantes.

IMPORTANTE: Os professores NÃO podem dar falta para aqueles estudantes que estiverem em assembleia. Por isso, é importante que aqueles que estiverem em assembleia assinem a lista de presença para que sejam emitidas declarações.


terça-feira, 10 de março de 2015

Edital 01/15-CAL Abertura das Incrições de Grupos de Estudos para o Semestre 2015/1


Caros colegas,

A gestão do CAL vem informar que está aberto o edital para a inscrição de Grupos de Estudo dos estudantes de Letras. 

Observem os prazos no edital abaixo e as pessoas para entregar a ficha no link

até breve,
Ricardo Peixoto

Nota sobre o CEB do dia 3 de março e convite para roda de discussão


Foi realizado na última terça-feira, dia 3 de março de 2015, o Conselho das Entidades de Base da UFPR (CEB) e nós representantes do Centro Acadêmico de Letras estivemos presentes nesse momento histórico do movimento estudantil da universidade, que contou com grande número de pessoas interessadas em debater o destino do prédio do DCE.

Apesar da indisposição ao diálogo por parte da gestão “Quem tá passando é o bonde” e de propostas bizarras na tentativa de calar os estudantes (como a divisão não igualitária do tempo de fala entre os presentes), o resultado foi positivo e proporcionou maior união dos centros acadêmicos de diferentes cursos por iniciativa da base.

É cada vez mais evidente que os coletivos que ocupam o prédio do DCE possuem legitimidade e preservam com grande responsabilidade o espaço que é de todos. As revindicações do El Quinto, Rádio Gralha e Antifa foram expostas com transparência em contraposição ao modo autoritário como a gestão atual do DCE tem defendido os interesses da reitoria.

Além disso, houve relatos sobre a situação caótica das obras inacabadas em todos os campi da UFPR, com destaque para o descaso em relação à Casa da Estudante Universitária de Curitiba (CEUC). Também foi relembrada a atitude antidemocrática da reitoria, quando retirou o prédio do DANC das mãos dos estudantes sem se comprometer com a reforma do prédio.

Levando em consideração que as universidades federais começaram o ano com um corte de 30% no orçamento e com os atrasos nos repasses das bolsas de estudos, é impossível acreditar que a reitoria esteja realmente disposta a assumir uma reforma estrutural do prédio. Mesmo assim, todos nós concordamos com a urgência de melhorar os espaços que são utilizados pelos estudantes e a diferença no modo de pensar sobre isso está nas garantias que serão dadas durante o processo.

Quando finalmente as pessoas presentes no CEB puderam se manifestar, nós do CAL, em consonância com os representantes de outros cursos, propusemos uma assembleia geral dos estudantes. Por meio dela será possível que o debate consiga chegar a todos os envolvidos, sem passar obrigatoriamente e unicamente pelas representações de cada curso.

Sendo assim, nós da gestão “O SCHWA é Neutro, mas nós NÃO!” convidamos todos os estudantes do curso de Letras para um espaço de discussão que acontecerá no dia 16 de março as 18h30 horas na Sala 1009 no D. Pedro I. A ideia é debatermos a questão do prédio antes da assembleia do nosso curso, que acontecerá no dia 17/03 (a convocatória será enviada nos prazos regimentais) e a assembleia geral dos estudantes que acontecerá no dia 19/03 aqui no Campus Reitoria.

Esperamos que a assembleia geral ocorra de modo acessível a todos as pessoas que conhecem e vivenciam a realidade do prédio, valorizando uma rotina que vai muito além das festas no segundo andar.

Relembrando:

  • 16/03 18h30 Sala 1009 D. Pedro I - Roda de Discussão sobre o prédio dos estudantes
  • 17/03 8h30 Anfi 1000 / 18h30 1009 - Assembleia de Letras
  • 19/03 19h - Assembleia Geral dos Estudantes


Vamos tds, o CAL é nóix!

Pós-Graduação de Letras organiza palestra sobre narrativa peruana moderna



As inscrições para a palestra “Conversas em Palermo”, que acontece no dia 11 de março no prédio da Reitoria, já estão abertas. A palestra será proferida pelo professor Rômulo Monte Alto, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e irá tratar da narrativa peruana moderna e também acerca do bar Palermo, localizado na cidade de Lima – uma referência para escritores dali.

A ideia central do evento é mostrar as relações entre grupos literários, escritores e obras da narrativa peruana durante as décadas de 1950 e 1960. A literatura andino-peruana é uma das áreas de estudo em que Monte Alto é especialista, além de trabalhar com Língua Espanhola e Tradução e Literatura comparada na UFMG.

As inscrições são gratuitas e o evento dará certificados para os participantes. O número de vagas é limitado a 40 pessoas e, para garantir a participação, é necessário enviar e-mail para machadeira@gmail.com.

Serviço
Conversas em Palermo – Apontamentos sobre a narrativa peruana moderna
Data: 11 de março
Horário: 9h
Local: Rua General Carneiro, 460 – Sala 1005B – 10º andar
Mais informações: (41) 3360-5102

Via UFPR

domingo, 8 de março de 2015

Adiantamento de disciplinas

Adiantamento de disciplinas para alunos de letras que precisam fazer inglês complementar ou instrumental: o teste será realizado na segunda-feira às 8:30 e 18:30.

sexta-feira, 6 de março de 2015

Programação da Semana da Mulher


De 9 a 14 de março acontecerá a Semana da Mulher - Letras UFPR, organizada pelas alunas de Letras em conjunto com o Centro Acadêmico de Letras e com apoio de alunas do curso de Design da UFPR.

Para se inscrever nas oficinas e obtenção de horas formativas, é necessário enviar o nome completo, GRR e RG para o email: semanadamulherufpr@gmail.com

Ao longo da Semana estaremos arrecadando alimentos para o Transgrupo Marcela Prado! Quem tiver uma caixinha de leite, um pacotinho de arroz etc, será tudo muito bem-vindo.

Clique na imagem para conferir a programação:


quinta-feira, 5 de março de 2015

Seminário: Discurso, Relações Étnico-Raciais e Diversidade Sociocultural




INSCRIÇÕES:

a)  Work-Shop: pelo link  https://docs.google.com/forms/d/1gRSrfbpmmy3RPO0AfE2-GDaHWgEiBeEshITqKPaSvRw/viewform?c=0&w=1

b) Demais atividades: por e-mail e durante o evento

Serão emitidos certificados de participação


PROGRAMAÇÃO

10 de março de 2015
 Local: Sala Homero de Barros – PPGE-UFPR
 14h00 – 15h30
Palestra: De África ao Brasil e do Brasil a África: informação, comunicação e cultura em Moçambique hoje.
Prof. João Miguel – Universidade Eduardo Mondlane – Maputo – Moçambique.
Transmissão on line:
http://www.youtube.com/watch?v=6byIN8UoyUc

11 de março de 2015
 Local: Sala Homero de Barros – PPGE-UFPR
 Apresentação e discussão de resultados das pesquisas:
- Discurso de relações raciais.
- Ensinar qual língua, ler qual literatura?
 Mesa 1 13h30-16h00
Profa. Dra. Aparecida de Jesus Ferreira (UEPG);
Profa. Dra. Aracy Martins (UFMG);
Profa. Dra. Miriam Jorge (UFMG);
 Mesa 2 16h30-19h00
Profa. Dra. Ione Jovino (UEPG);
Profa. Dra. Miria Gomes (UFMG);
Prof. Dr. Paulo Vinicius Baptista da Silva (UFPR).
Transmissão on line:
http://www.youtube.com/watch?v=QaEYhktGxlE

12 de março de 2015
 Local: Sala Homero de Barros – PPGE-UFPR
 13h30 – 17h30
Work-shop Métodos de Análise Crítica do Discurso (ACD) e análise do racismo.
Prof. Dr. Teun van Dijk – Universidad Pompeu Fabra (Barcelona-Espanha)
Transmissão on line:
http://www.youtube.com/watch?v=CGYp0tLgPvY

INFORMAÇÕES GERAIS

Público alvo:
Docentes, discentes e pesquisadores vinculados ao NEAB-UFPR, NUREGS UEPG,  ao NERA-Ações Afirmativas/FAE/UFMG, ao PPGE-UFPR, professores de Escola Básica, Movimentos Sociais, estudantes das Licenciaturas da UFPR e demais convidados.
 Discentes PPGE – contagem de 1 crédito
 Projetos vinculados:
Pesquisa Discurso e relações raciais (UFPR, UEPG, UFMG, UEMG)
Pesquisa Ensinar qual língua, ler qual literatura? (UFMG, UFPR)
Projeto Educomunicação e desenvolvimento social Moçambique – Brasil. (UFPR, UEM/MOÇAMBIQUE)

PROMOÇÃO:

Pesquisa Discurso e relações raciais (Fundação Araucária)
Pesquisa Ensinar qual língua, ler qual literatura? (CNPQ)
Projeto Educomunicação e desenvolvimento social Moçambique – Brasil. (CAPES)
NEAB-UFPR – Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da UFPR
NUREGS-UEPG – Núcleo de Estudos de Relações Étnico-raciais, de Gênero e Sexualidade da UEPG
PROGRAMA AÇÕES AFIRMATIVAS NA UFMG
NERA – Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Relações Étnico- Raciais e Ações Afirmativas
Ceale – Centro de Alfabetização, Leitura e Escrita

APOIO:

Programa de Pós-Graduação em Educação PPGE-UFPR
Programa de Pós-Graduação em Linguagem, Identidade e Subjetividade UEPG
Programa de Pós-Graduação em Educação: Conhecimento e Inclusão Social UFMG
Programa de Pós-Graduação em Educação – UEMG
Coordenador:  Prof. Dr. Paulo Vinicius Baptista da Silva – NEAB/PPGE/UFPR
Cordialmente,
Judit Gomes da Silva

Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros - Universidade Federal do Paraná

Praça Santos Andrade, n°50 CEP:80020-938 - Telefone: (41) 3310-2707

quarta-feira, 4 de março de 2015